RSS

Enquadramento Histórico

EXPEDIÇÕES MARÍTIMAS

Continuamos a viajar pela História…
“Não há dúvida que as navegações deste reino de cem anos a esta parte são maiores, mais maravilhosas, de mais altas e discretas conjeturas, que as de nenhuma outra gente no mundo. Os portugueses ousaram cometer o grande mar Oceano. Entraram por ele sem nenhum receio. Descobriram novas ilhas, novas terras, novos mares, novos povos. E o que mais é: novo céu, novas estrelas…”

Nunes, Pedro, Obras de Pedro Nunes,1940, p. 175

            Início do século XVI, descoberto o caminho marítimo para a Índia e “achado” o Brasil, era tempo de impor, muitas vezes com a força das armas, a soberania portuguesa aos novos vassalos. Esta imposição era política, económica e, talvez a mais importante, religiosa. Era imperioso levar o cristianismo a esses povos que viviam sem a orientação de Cristo… O Islão continuava a ser uma ameaça constante para a Europa, e o mito da existência de um Rei e um Reino Cristão em terras Islâmicas marcava o imaginário e a literatura da época – era o reino de Preste João.

A crença na lenda do rei-sacerdote, e de um reino cristão maravilhoso e poderoso, denominado Etiópia, ou Abissínia, era tão grande que, em 1487, D. João II enviou o navegador Afonso de Paiva para investigar a localização do mítico reino, na tentativa de tornar Preste João um aliado para a expedição à Índia, ainda em fase de planeamento. Afonso de Paiva morreu antes de comunicar o relatório, e Pêro da Covilhã assumiu a missão. Os relatos de Pêro da Covilhã foram a base de imensa literatura que renovou o imaginário europeu sobre o assunto.

Esta literatura fantástica esteve nas origens da aventura portuguesa e das expedições marítimas. Em demanda de Preste João largaram de diversos portos portugueses, incluindo Machico, Naus e Caravelas carregadas de valentes marinheiros, que em nome d’el Rei, cruzaram os oceanos transportando a cruz de Cristo e a bandeira de Portugal… tempestades, piratas, má alimentação, pouca higiene e uma força descomunal de querer descobrir o desconhecido fazia destes homens verdadeiros super-heróis… não havia espaço para quem enjoava no alto-mar…

Tudo isto e muito mais reviveremos nesta VIIª edição do Mercado Quinhentista de Machico. A Comissão organizadora, a EBS de Machico e a Câmara Municipal de Machico deseja que o quotidiano recriado lhe proporcione uma verdadeira viagem pela História… Feliz passeio pelo século XVI.

Comissão Organizadora do MQ (LS)

Anúncios
 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: